Vacina contra o coronavírus pode chegar a Minas nesta semana para testes

Foto: Instituto Butantan/Divulgação
As doses da CoronaVac, vacina desenvolvida na China contra o coronavírus, e placebos que serão utilizados nos testes no Brasil podem chegar a Minas Gerais nesta semana. Essa é a expectativa do Instituto Butantan, de São Paulo, que coordena os estudos no país.

O imunizante é produzido pela farmacêutica Sinovac e está na terceira fase de ensaios clínicos. Segundo o instituto, as 20 mil doses que serão distribuídas em 12 centros de pesquisa chegaram ao país no último dia 20.

Nesta terça-feira, a assessoria de imprensa do instituto informou ao Estado de Minas, os testes começaram no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), na capital. A partir desses primeiros testes, será definido o protocolo para os demais centros.

Em Minas Gerais, os testes serão realizados pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Em 16 de julho, a instituição começou as inscrições para selecionar 800 voluntários da área da saúde para receberem as doses. Até então, a expectativa era que as aplicações começassem na semana passada.

O Estado de Minas entrou em contato com a universidade por e-mail e aguarda resposta. Amanhã, o tema deve ser abordado em um evento online da instituição com a participação do professor Mauro Teixeira, coordenador do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos (CPDF) do ICB, envolvido nos testes da CoronaVac em Minas.

O Instituto Butantan, em parceria com o governo do estado de São Paulo, também lançaram uma plataforma para selecionar voluntários a nível nacional. Segundo a assessoria do Butantan, as inscrições ainda estão disponíveis pela internet e, se uma pessoa atende aos critérios, ela recebe a indicação de qual centro de pesquisa deve procurar, de acordo com o local onde reside. Em todo o país é necessário que o voluntário seja profissional da saúde que esteja atendendo a pacientes com a COVID-19.

Além da UFMG e da USP, os testes serão realizados nos seguintes locais:

Instituto de Infectologia Emílio Ribas

Hospital Israelita Albert Einstein

Universidade Municipal de São Caetano do Sul

Hospital das Clínicas da Unicamp (Campinas)

Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto

Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto Universidade de Brasília (UnB)

Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas de Fiocruz (Rio de Janeiro)

Hospital São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS)

Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná

Ainda segundo o Instituto Butantan, uma comissão de pesquisadores internacionais vai acompanhar o andamento de todos os testes. Se houver sucesso, a vacina será produzida no instituto já no ano que vem.

Estado de Minas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.