'É muita coisa para tão pouco tempo': Abel se pronuncia após invasão na Toca da Raposa

Reprodução/TV Cruzeiro
Hoje em Dia

O técnico Abel Braga fez um pronunciamento na Toca da Raposa II após membros da Máfia Azul invadirem o centro de treinamento, na tarde desta terça-feira (1). No discurso, o treinador fez questão de apaziguar os ânimos, defendendo os jogadores e procurando entender a insatisfação dos torcedores.

Integrantes da principal torcida organizada do clube arrombaram a tranca de um dos portões do centro de treinamento, adentraram o local e soltaram foguetes dentro da propriedade, interrompendo uma atividade realizada pelos jogadores reservas.

Mesmo procurando entender a fúria dos torcedores, Abel ressaltou que interromper um treinamento pode atrapalhar a preparação da equipe para a sequência da temporada.

Confira na íntegra o pronunciamento do técnico Abel Braga:

É muita coisa para tão pouco tempo. Futebol tem duas coisas envolvidas que jamais deixaram de existir. A razão de qualquer clube no Brasil é a torcida. Então nós temos que entender uma série de coisas que ocorrem, que às vezes poderiam ser resolvidas de forma diferente. Mas não podemos deixar de entender a soberania do torcedor que envolve paixão e sentimento.

Entendemos perfeitamente o momento que o torcedor está passando. Isso que ocorreu foi nada mais que paixão pelo momento. Se nós não sairmos dele, vamos criar um fato inédito, que é ver o Cruzeiro na Segunda Divisão.

O sentimento que eu tive ontem (segunda-feira) me trouxe uma convicção muito grande, muito real porque eu sei como os jogadores se sentiram. Eu sei a maneira que eles se portaram. É complicado jogar em Goiânia por causa da umidade. O que eles correram... Eu vi o semblante de cada um deles no vestiário. Com um treinamento tático no domingo a assimilação foi incrível. Os garotos gostaram do que viram ontem. Pediram que isso continue. Eu prometi que isso vai continuar com um pouco mais de sorte, um pouco mais de felicidade. Ontem foi o acaso. Foi chutando bola no gol, e errou o chute.

Não estamos aqui para ficar contestando nada. A gente conversou da melhor maneira possível, de forma educada. Eles (membros da Máfia Azul), claro, no auge da emoção, expuseram para mim, para os atletas, aquilo que eles tinham vontade, sem ofender, sem agredir. Falei com eles que não era a melhor maneira. A melhor maneira é combinando alguma coisa para se fazer.

Postar um comentário

0 Comentários