A mais completa cobertura. Informação com credibilidade. O blog campeão absoluto de visualizações. SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS: FACEBOOK, YOUTUBE, INSTAGRAM E TWITTER. ACESSE NOSSO SITE: www.futblogdosorriso.com.br

quinta-feira, 12 de novembro de 2020

Lisca exalta vitória sobre Inter e explica 'segredo' do América: 'Trabalho, dedicação e união'

Foto: América/Reprodução

O técnico Lisca exaltou o desempenho do América na vitória por 1 a 0 sobre o Internacional, nesta quarta-feira, no Beira-Rio, em Porto Alegre, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. O treinador citou o passado no Colorado e destacou a proporção do resultado do Coelho diante do atual líder da Série A do Campeonato Brasileiro, mas minimizou a vantagem obtida para o confronto da volta, marcado para a próxima quarta-feira, às 21h30, no Independência, em Belo Horizonte.

“É uma boa vitória, uma bela vitória. Todo mundo sabe que, aqui no Beira-Rio, é muito difícil jogar contra o Internacional, que é líder do Campeonato Brasileiro, está bem colocado na Libertadores e na Copa do Brasil. O Inter tem jogadores competentes, de muita qualidade. Foi uma vitória importante em um primeiro tempo. Temos uma vantagem mínima para o segundo tempo, em Belo Horizonte. Sabemos que a situação do mando de campo mudou muito por causa da pandemia. É um jogo que está em aberto”, declarou o comandante, em entrevista coletiva após a partida.

“Vamos treinar forte para enfrentar o Cuiabá, no sábado, e o Inter, na próxima quarta-feira, tentando fazer o nosso melhor. Vai ser um grande jogo, respeitando bastante, eu mais do que ninguém, pois eu seja, talvez, o cara que mais conheça o Internacional. Eu fui criado aqui dentro. Estamos felizes, mas saiu a comemoração no ralo, pois temos treinamento amanhã. Nosso foco já é o Cuiabá”, complementou o gaúcho, projetando a partida deste sábado, na Arena Pantanal, pela 21ª rodada da Série B.

Lisca também enfatizou o estudo de preparação para o jogo contra o Internacional. O treinador disse que o América conseguiu tirar o adversário da ‘zona de conforto’, elogiou o comportamento defensivo da equipe e ressaltou que outras chances de gol foram criadas após Rodolfo abrir o placar no Beira-Rio, aos 12 minutos do primeiro tempo.

“Não só eu estudei o Inter, como toda a minha comissão técnica. Sempre analisamos todos os adversários para mapear os pontos fortes e os que podemos aproveitar. Em casa, quase sempre o Inter tem a bola. No primeiro tempo, conseguimos pressionar um pouco e tirar eles um pouco da zona de conforto. Pela nossa análise, os times que vêm muito passivos aqui não conseguem bons resultados. Fizemos um gol cedo, e o Inter se lançou mais e entrou mais no nosso campo, mas controlamos o jogo por dentro deles. Sobrou um pouco mais as bolas diagonais que eles usam muito, descendo a linha de três com Lindoso. Foi difícil controlar o Edenilson, que fez um grande jogo. Muitos cruzamentos do Heitor, do Uendel, mas nossa gestão de área foi bem competente. Sabíamos que eles forçariam essa bola. Mas o Inter é um time de muitos recursos", avaliou.

"Tivemos boas chances de marcar o segundo gol, em transições, em contra-ataques, com Geovane no primeiro tempo, que ele preferiu servir o Ademir, que também mandou uma bola na trave. Vamos ver se a gente consegue melhorar para tentar essa classificação”, complementou.

Sucesso na Copa do Brasil

O América chegou às quartas de final da Copa Brasil ao eliminar o Corinthians, com vitória no jogo de ida, também fora de casa, por 1 a 0, e empate por 1 a 1 no Horto. Depois de novo sucesso contra um equipe de expressão do futebol nacional, Lisca valorizou o trabalho deixado pelo técnico anterior do Coelho, Felipe Conceição, e comentou qual seria o ‘segredo’ do sucesso do time no torneio, além da Série B, competição na qual ocupa a vice-liderança, com 36 pontos.

“Não tem muito segredo. Tem trabalho e qualidade dos jogadores. Cheguei ao clube com uma estrutura bem legal de time e uma metodologia bem desenvolvida, com ideia, com concepção de jogo, que vem desde o Felipe Conceição. Ele é um cara muito competente. Desde as finais do Mineiro, contra o Atlético, que jogamos muito bem, mas tivemos uma dificuldade com VAR, que nos atrapalhou no último jogo, vimos que temos condição de fazer bons jogos com nível alto. É o que eu falo com o grupo: quando aumenta o nível do adversário, nós temos que aumentar muito o nível para enfrentá-lo. Falei de dois times que disputam o título do Campeonato, o Inter, que é o líder, e o Atlético, segundo colocado, assim como o Corinthians, agora com o Vagner Mancini. Os jogos contra o Atlético nos mostrou que temos capacidade de enfrentar adversários de qualidade e crescer o nosso nível. Não tem muito segredo, não. É trabalho, dedicação, muita unidade de trabalho e estrutura que o América dá. É um clube muito família, um clube mais tranquilo. Os jogadores, diretoria e comissão técnica são unidos. Talvez esse seja o segredo”, concluiu.

Por Superesportes 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.