sábado, 3 de abril de 2021

Estadual: os prováveis times de Atlético e América para o clássico deste domingo no Mineirão

Divulgação

ATLÉTICO-MG X AMÉRICA-MG

Jogo da 7ª rodada 

Data: 4 de abril de 2021

Horário: 16h (de Brasília)

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Marco Aurélio Augusto Fazekas

Assistentes: Felipe Alan da Costa Oliveira e Marcyano da Silva Vicente

Jogo com transmissão do Sistema JDS de Comunicação (Futblog do Sorriso - Rádio Livre - Sorriso Web TV)

Acompanhe no Facebook e no YouTube

ATLÉTICO-MG 

Everson, Mariano, Gabriel, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan, Zaracho(Jair) e Nacho Fernández; Hulk, Keno e Vargas. Técnico: Cuca.

Desfalques: Diego Tardelli(lesionado), Réver(em condicionamento físico)

AMÉRICA-MG 

Matheus Cavichioli; Joseph, Eduardo Bauermann, Anderson Jesus e João Paulo; Sabino, Juninho, Gustavinho e Alê; Marcelo Toscano (Ribamar) e Rodolfo. Técnico: Lisca. 

Desfalques: Felipe Azevedo (transição física); Geovane e Arthur (lesionados).

Protesto pede saída de Felipe Conceição e volta de Alexandre Mattos e Marcelo Oliveira no Cruzeiro

Reprodução

Um dia depois do empate sem gols contra o Tombense, que deixou o Cruzeiro apenas na sexta colocação do Campeonato Mineiro, faixas de protesto contra o técnico Felipe Conceição e alguns jogadores foram colocadas em frente ao prédio em que se localiza o setor administrativo do clube.

Um grupo de torcedores, que não quis se identificar nas faixas, escreveu frases que mostram o descontentamento com este início de temporada da Raposa. O técnico Felipe Conceição e jogadores como Felipe Augusto e Marcinho foram os alvos.

Além da saída deles, os torcedores pedem os retornos de dois bicampeões brasileiros pelo clube na última década: o técnico Marcelo Oliveira e o diretor de futebol Alexandre Mattos. Ambos estão livres no mercado.

As faixas foram colocadas durante a madrugada de quinta para sexta-feira (2), já que bem cedo, funcionários do Shopping Boulevard, onde o clube alugou salas para instalar o setor administrativo, notaram a presença delas espalhadas ao redor do prédio.

>> O Tempo

sexta-feira, 2 de abril de 2021

Araguacema anuncia a contratação do goleiro Bruno

Divulgação

O Araguacema anunciou a contratação do goleiro Bruno, que chega para atuar até a reta final do Tocantinense 2021. A diretoria do clube informou que espera a liberação da justiça para o arqueiro atuar fora do Rio de Janeiro. A documentação necessária já foi enviada pelo clube. O jogador deve se apresentar na próxima semana.

A contratação é bancada pela empresa "Datamarkets". Bruno, tem 36 anos, e disputou no ano passado a Série D do Brasileiro pelo Rio Branco-AC, o primeiro clube onde teve uma sequência de jogos após cumprir pena pelo envolvimento no assassinato da modelo Eliza Samudio, em 2010.

Neste ano, Bruno chegou a encaminhar um acordo com o Atlético Carioca da Série C do estadual do Rio, mas o clube desistiu do jogador devido ao assédio de outras equipes.

A contratação pelo Araguacema foi alvo de várias críticas nas redes sociais.

>> Globo Esporte 

América apresenta o volante Juninho Valoura

Mourão Panda/América/Divulgação

Após a boa vitória fora de casa sobre o Uberlândia-MG, o América se reapresentou nesta sexta-feira com boas novidades no CT Lanna Drumond. O volante Juninho Valoura foi apresentado na sala de imprensa Paulo Papini e concedeu sua primeira entrevista após o retorno ao Coelho. Já registrado no BID, o experiente atleta já está à disposição para reiniciar sua trajetória pelo Clube.

Antes do treinamento desta sexta, Juninho Valoura foi recepcionado por Euler Araújo, membro do Conselho de Administração, e recebeu as boas-vindas do dirigente americano.

Depois de atuar em 20 partidas pelo América na temporada 2013, Juninho Valoura retornou ao Clube com contrato definitivo até o fim de dezembro.

Euler Araújo, membro do Conselho de Administração do América, deu as boas-vindas ao novo volante americano. O dirigente destacou que o Clube já vinha monitorando o atleta há mais tempo e valorizou a vontade de Juninho Valoura de voltar ao Coelho.

“Hoje apresentamos o Juninho, um atleta que já vinha sendo monitorado pela nossa equipe de Análise e Desempenho. Chegou o momento dele voltar ao América e todos nós desejamos muito sucesso. Conversei com ele sobre os projetos do América para este ano, e ele se sentiu muito honrado e feliz de participar disso. Vi nele uma vontade muito grande, então toda a direção e comissão estão bastante satisfeitas. A torcida também te abraçará neste grande desafio que temos. Tenho certeza de que comemoraremos muitas vitórias”, disse o dirigente.

Juninho Valoura comentou sobre o retorno ao Coelho e demonstrou sua motivação em fazer uma grande temporada com o manto americano.

“Primeiramente, quero agradecer pela oportunidade de voltar para esta grande instituição. Tenho certeza de que será um ano abençoado. Para a torcida americana, quero dizer que me dedicarei ao máximo, com muito comprometimento e profissionalismo para honrar esta camisa tão bela do Coelho. Se Deus quiser, faremos uma temporada brilhante para que eu possa também fazer parte da história do Clube”, declarou.

Juninho também falou sobre a passagem anterior e suas aspirações para a nova trajetória pelo Clube.

“Em 2013, foi um momento onde pude jogar pela primeira vez neste Clube de história belíssima. O profissionalismo e a dedicação nunca faltaram, mas no fim daquela passagem saí com um gostinho de que poderia ter feito mais. Hoje, depois de oito anos, tenho a chance de voltar a um América que está em ascensão, que conquistou grandes objetivos na última temporada. Então, é um Juninho mais experiente e muito mais preparado que retorna com a certeza de que juntos temos tudo para fazer um grande ano com a camisa do Coelho”.

Durante a entrevista, o volante comentou também sobre um de seus principais atributos: a qualidade na bola parada.

“Eu sempre trabalhei bastante esses fundamentos, conseguindo ter sucesso nisso muitas vezes em minha carreira. Em 2019, tive a oportunidade de aprimorar ainda mais esse quesito. Hoje, com o futebol cada vez mais competitivo, essa bola parada bem trabalhada pode definir muitas partidas, seja diretamente com finalização para o gol ou em forma de assistência. Portanto, continuarei me dedicando ao máximo. Sei que o professor Lisca me dá liberdade para trabalhar nisso, então é continuar treinando que as coisas acontecerão naturalmente”, completou.

Durante toda a semana, Juninho Valoura trabalhou no CT Lanna Drumond, treinando junto aos atletas não-relacionados para o compromisso contra o Uberlândia-MG. Nesta sexta, o volante treinou normalmente com o elenco americano.

>> Site oficial

Cuca vê derrota para a Caldense como alerta para o Atlético antes do clássico

Divulgação

A derrota por 2 a 1 para a Caldense, em Poços de Caldas, na quinta-feira, foi apontada pelo técnico Cuca como um alerta importante para o elenco do Atlético antes do clássico com o América. O duelo entre os dois representantes de Minas na Série A será no domingo, às 16h, no Mineirão, e vale a liderança do Campeonato Mineiro.

Em meio ao clima de favoritismo do Atlético, devido ao alto investimento e aos reforços de nível internacional, o treinador acha que o revés serviu para todos colocarem os pés no chão na Cidade do Galo.

“O importante disso, de uma derrota assim, é os jogadores sentirem uma derrota e terem a noção ideal do que a gente significa e do tamanho da nossa responsabilidade, que temos esse ano. Se for sentida essa derrota, e nós levantarmos a guarda e no domingo fizermos um grande jogo, a gente vai entender que são coisas naturais dentro de um campeonato difícil como esse”, avaliou.

Time

O Atlético não tem jogadores suspensos para o próximo compromisso, válido pela sétima rodada do Mineiro. As dúvidas são o zagueiro Réver, vetado para enfrentar a Caldense por causa de incômodo na região posterior do joelho direito, e o volante Jair, poupado do jogo no Sul de Minas para fazer trabalhos físicos.

O atacante Diego Tardelli também deve seguir ausente. Ele sofreu uma pequena lesão na coxa direita antes da partida diante do Patrocinense, pela quarta rodada, e está em fase final de recuperação.

Por contar com sete estrangeiros no grupo e só poder utilizar cinco nos jogos, Cuca optou por deixar os meio-campistas Alan Franco e Dylan Borrero de fora frente à Caldense. O treinador não deu dicas de qual critério usará visando ao clássico.

“Ficaram fora o Alan Franco e o Dylan. Se eu tivesse deixado outro estrangeiro fora, o questionamento também viria. É difícil ter sete jogadores e contar apenas com cinco. Hoje um ficou fora, amanhã vamos ver como vai ser”, argumentou.

Classificação

O clássico de domingo vale a liderança do Campeonato Mineiro. Os dois rivais têm 15 pontos. No momento, o Galo é ponteiro por ter 12 gols de saldo, contra quatro do América. Caldense, com 11, e Athletic, com nove, completam o G4 do Mineiro.

>> Superesportes

Técnicos dos times mineiros aprovam nova regra que limita troca de treinadores

Lisca, Felipe Conceição e Cuca, os técnicos de América, Cruzeiro e Atlético, respectivamente —
Fotos: Mourão Panda/América/ Bruno Haddad/Cruzeiro/ Pedro Souza/Atlético

Em conselhos técnicos virtuais realizados na semana passada, os times das Série A e B votaram pela limitação da troca de treinadores durante as competições nacionais, que começam no fim de maio. Os clubes só poderão demitir e contratar um novo comandante uma vez durante o torneio, da mesma forma que os técnicos só poderão pedir demissão para assumir uma outra equipe uma única vez (veja abaixo o que diz o regulamento).

Os treinadores das três grandes equipes do futebol mineiro aprovaram a nova regra. "É uma primeira ideia bem interessante para gente começar a discutir esse tema", ressaltou Lisca, do América. "É uma boa, é mais segurança para todos, tanto para o profissional quanto para os clubes", emendou Cuca, do Atlético. Ambos disputarão a Série A deste ano.

Felipe Conceição, do Cruzeiro, que terá a Série B pela frente, acredita que a alteração no regulamento pode contribuir com uma maior conscientização de todos que trabalham ou acompanham o futebol.

"Temos que acostumar e voltar o trabalho a médio e longo prazo. Não existe trabalho bem feito ou sólido se não for assim", ressaltou o treinador cruzeirense, à rádio Super 91,7 FM. Na comparação com os rivais, o momento do Cruzeiro é mais complicado, o que requer mais paciência.

"Não que o treinador tenha um tempo e não demonstre competência, mas que se entenda o processo do clube, o momento e para onde ele está levando a equipe. O resultado não é do dia para o outro. Os clubes que mudam muito não tem um processo de crescimento", ressaltou.

Lisca também tem acompanhado a discussão e reparou que existe uma "pegadinha" na nova regra. A rescisão por "acordo mútuo" não entra na conta da limitação de trocas. "Eu já vi que tem alguns adendos na lei. Mas as coisas vão ser clareadas, a lei ainda vai evoluir. Acho bem interessante. Agora é se adaptar, ser. É um primeiro passo, um primeiro caminho. Vamos ver como vai funcionar na prática", reforçou.

Cuca destaca que a inclusão do limite de trocas de treinador pode mudar a filosofia dos dirigentes. "Eles vão ter que escolher as pessoas certas para as equipes. É uma medida muito boa, vai precaver a todos nós e aos clubes também", ponderou.

Na Série A, 11 clubes votaram a favor da nova regra, incluindo Atlético e América, e outros nove foram contra. Na Série B, o Cruzeiro e outras 17 equipes se posicionaram favorável. Apenas dois clubes votaram contra. (Com Giovanna Pires e Artur Moraes).

O que diz o regulamento*:

Somente será permitida uma demissão de treinador sem justa causa, por iniciativa do clube, durante a COMPETIÇÃO. Caso o clube demita um segundo treinador sem justa causa após ter demitido o primeiro nessa mesma condição, dever necessariamente utilizar um treinador registrado pelo menos seis meses no clube. Eventual pedido de demissão por parte do treinador, demissão por justa causa por iniciativa do clube ou rescisão por mútuo acordo não serão computados para os efeitos deste artigo.

Parágrafo único - O treinador inscrito por um clube para a disputa da COMPETIÇÃO poderá se demitir uma única vez sem justa causa para dirigir outra equipe participante da COMPETIÇÃO. Caso se demita uma segunda vez sem justa causa, não poderá ser novamente inscrito na COMPETIÇÃO. A demissão por iniciativa do clube, a rescisão indireta por iniciativa do treinador ou a rescisão por mútuo acordo não serão computadas para os efeitos deste parágrafo.

*Artigo 29 do REC da Série B e artigo 32 do REC da Série A

>> O Tempo

Galo defende 16 anos de invencibilidade em cima do América no Mineirão

Daniel Hott/América/Divulgação

Com as duas equipes na Série A do Brasileirão, Atlético e América vão se enfrentar em 2021 pelo menos três vezes. O primeiro confronto da temporada é neste domingo (4), pela 7ª rodada do Campeonato Mineiro, às 16h, no Mineirão. A partida, além de ser um confronto direto pela liderança, tem um ingrediente a mais. O Coelho não bate o Galo no Mineirão desde 13 de maio de 2005. 

Desde aquela vitória por 1 a 0 pelo Mineiro,  Atlético e América já se enfrentaram outras 10 vezes no Gigante da Pampulha, com seis vitórias alvinegras e quatro empates. A última partida foi no primeiro jogo da semifinal do Estadual de 2020, quando o Galo venceu por 2 a 1. O time comandado pelo técnico Lisca tem a chance de quebrar o tabu no domingo. 

Desde a reinauguração da Arena Independência em 2012, o Atlético passou a mandar muitos jogos para o estádio do Horto e, por isso, as duas equipes se enfrentaram apenas 10 vezes no Mineirão nesses 16 anos. 

A partida carrega esse tabu, mas também vai definir quem termina a 7ª rodada na liderança do Estadual. América e Atlético estão empatados em número de pontos (as duas com 15) e o Galo leva a melhor pelo saldo de gols. 12 contra quatro do Coelho. Apenas uma vitória americana tira o primeiro lugar do time alvinegro. 

O Galo perdeu a invencibilidade no Estadual na última rodada, quando foi derrotado pela Caldense por 2 a 1, na quinta-feira (1º). A única derrota do América na competição também foi para a Caldense na 4ª rodada, por 1 a 0. Apesar da igualdade na tabela, o técnico Lisca enxerga o Atlético como favorito para essa partida, por conta do alto investimento da equipe.

>> O Tempo

Jogador Marcelo é multado em R$ 18 mil por não usar máscara

Lucas Figueiredo/CBF - Jogador foi notificado 

O lateral esquerdo Marcelo, do Real Madrid, foi notificado pelo Departamento de Justiça de Valência em 2.700 euros (cerca de R$ 18 mil) por furar o bloqueio perimetral da cidade, imposto como medida restritiva para frear a pandemia, e também pela não utilização de máscara.

A notificação foi decretada depois de o lateral de 32 anos ter postado uma foto em seu Instagram, no último dia 28, na qual aparece com a família em um passeio pela orla de uma praia valenciana.

"Domingão de sol", escreveu o lateral brasileiro na legenda da foto publicada na rede social.

Marcelo, sua esposa e o filho maior foram notificados em 700 euros cada um (600 por furar o perímetro e 100 pela falta de máscara), enquanto o mais novo recebeu somente a notificação de 600 euros, pois não há obrigatoriedade de máscara na sua idade (tem 5 anos).

O valor pela infração das medidas restritivas da pandemia se junta a outras infrações acumuladas pelo jogador desde a sua chegada ao Real Madrid, em 2007.

De acordo com o programa "Deportes Cuatro", da TV espanhola, Marcelo já pagou mais de 1,1 milhão de euros em multas (aproximadamente R$ 7,4 milhões) nos 14 anos de clube, incluindo multas de trânsito e acordos com o fisco espanhol por evasão de impostos.

Tetracampeão da Champions League com o Real e ídolo da torcida, o lateral perdeu a condição de titular, que hoje pertence ao francês Mendy. Na atual temporada, sob o comando de Zinedine Zidane, o brasileiro disputou oito partidas em La Liga e apenas um jogo na Champions.

>> FolhaPress

Lisca, do América, aponta Atlético como favorito no clássico de domingo

João Zebral/América/Divulgação - Lisca aponta rival como favorito

Na sétima rodada do Campeonato Mineiro, o América visitará o Atlético no domingo, às 16h, no Mineirão, em um duelo que vale a liderança da competição estadual. Ansioso pelo confronto, o técnico Lisca apontou que o adversário é favorito para conquistar a vitória no clássico.
“É um adversário poderosíssimo, com poder de investimento enorme, jogadores, treinador e gestor de primeiro nível. Nós estamos muito felizes de poder jogar com eles, de ter 90 minutos para colocar nosso trabalho a prova contra um time de primeiro nível do futebol mundial, sul-americano e nacional. Sabemos do favoritismo do Atlético, mas estamos muito motivados para fazer uma grande partida e um grande espetáculo para o público mineiro”, afirmou.

Em entrevista ao Superesportes, na semana passada, o comandante americano já revelava ansiedade para o jogo e definiu o rival como “Galáctico”, em referência ao grande número de estrelas do time atleticano. A expressão surgiu no futebol nos anos 1990 com o elenco de craques formado pelo Real Madrid.

O treinador do Coelho apontou o Galo, atual líder, com 15 pontos, como o favorito absoluto ao título mineiro e também como uma das potências da América do Sul. O time alviverde é o segundo colocado no Estadual com a mesma pontuação do adversário, mas com oito gols a menos de saldo.

O América irá para o clássico embalado com duas vitórias consecutivas: sobre o Cruzeiro por 1 a 0 no Mineirão, no clássico antes da paralisação do Mineiro, e sobre o Uberlândia (2 a 1), nessa quinta-feira, no Parque do Sabiá. Por sua vez, o Atlético buscará se recompor da derrota por 2 a 1 para a Caldense, no estádio Ronaldão, em Poços de Caldas.

>> Superesportes 

quinta-feira, 1 de abril de 2021

Os resultados da 6ª rodada e a classificação atualizada do Campeonato Mineiro

FMF

Jogos realizados nesta quinta-feira 

Uberlândia 1 x 2 América
Luizinho (U); Marcelo Toscano e Rodolfo (A)

Pouso Alegre 3 x 0 URT
Paulo Henrique, Matheus Sousa e Johnny

Patrocinense 1 x 0 Boa Esporte
Diego Luís

Cruzeiro 0 x 0 Tombense

Caldense 2 x 1 Atlético
Verrone e Gabriel Tonini (C); Keno (A)

Coimbra 1 x 0 Athletic SJDR
Igor

FMF

Cruzeiro rebate Cacá, mostra depósitos e admite pendência de R$ 251 mil

Bruno Haddad/Cruzeiro/Divulgação


Pouco depois de o zagueiro Cacá se queixar do descumprimento do acordo para pagamento de salários atrasados, o Cruzeiro rebateu as declarações do jogador por meio de nota em seu site oficial na noite desta quinta-feira.

A Raposa informou que repassou ao atleta R$205.993,00, em 17 de fevereiro, referentes a remunerações pendentes; e R$385.630,00, em 23 de março, correspondentes a uma fatia da venda dos direitos econômicos ao Tokushima Vortis, do Japão.

“Desta forma, mesmo em um momento de crise mundial com a pandemia, o Cruzeiro pagou ao atleta – que alegou de forma irresponsável não ter recebido nada – o valor de R$591.623,00 entre fevereiro e março de 2021”, escreveu o clube.

A diretoria do Cruzeiro admitiu que existe um débito com Cacá, na ordem de R$251.443,04, com vencimento para esta sexta-feira, 2 de abril.

O clube explicou que o pagamento ainda não foi feito por causa de um bloqueio corrente nas contas bancárias, “situação que infelizmente se tornou comum graças às dívidas acumuladas em gestões anteriores e desastrosas”.

No encerramento do comunicado, o Cruzeiro classificou como inverídico o conteúdo postado por Cacá e insinuou que o atleta “está mal orientado”. Os comprovantes da transferência do dinheiro para a conta do jogador foram publicados no fim da nota.

Leia o posicionamento do Cruzeiro

O Cruzeiro Esporte Clube informa que recebeu com surpresa e estranheza a publicação feita pelo atleta Cacá em suas redes sociais na noite desta quinta-feira (1º de abril de 2021), alegando que o Clube não cumpriu nada do que foi acordado em relação à sua recente saída para o futebol japonês.

Desta forma, em nome da transparência, o Cruzeiro esclarece que, no dia 17 de fevereiro de 2021, acertou parte considerável dos atrasados que eram de direito do atleta, na ordem de R$ 205.993,00.

O Clube também informa que, após a venda concretizada, no mês de março, repassou a Cacá e seu staff, com ciência de seu agente Leonardo, a quantia de US$ 70 mil (R$ 385.630,00 na conversão para Real), referentes à sua porcentagem na negociação. O pagamento foi efetuado no dia 23 de março de 2021.

Desta forma, mesmo em um momento de crise mundial com a pandemia, o Cruzeiro pagou ao atleta – que alegou de forma irresponsável não ter recebido nada – o valor de R$ 591.623,00 entre fevereiro e março de 2021, conforme demonstrado nos comprovantes ao final desta nota.

O Cruzeiro informa que ainda há pendente um pagamento de R$ 251.443,04 ao atleta, referente ao restante de seus atrasados, com vencimento previsto para esta sexta-feira, 2 de abril de 2021. O pagamento ainda não foi realizado somente devido a um bloqueio corrente nas contas do Clube, situação que infelizmente se tornou comum graças às dívidas acumuladas em gestões anteriores e desastrosas. O compromisso será cumprido assim que a conta esteja desbloqueada.

Por fim, o Cruzeiro lamenta o conteúdo inverídico da postagem de Cacá feita na noite desta quinta-feira e lamenta mais ainda a precipitação do seu ex-jogador, Cria da Toca, que talvez esteja sendo mal orientado, já que, mesmo tendo sido liberado pelo Clube para se apresentar dias após seus companheiros de elenco em fevereiro, preferiu não se apresentar na data combinada até que a venda fosse concretizada, se ausentando de diversos compromissos em um momento de contrato vigente com o Clube.

>> Superesportes

Praia Clube sai na frente do Minas na final da Superliga Feminina

Wander Roberto/Novafoto/Divulgação

O Dentil Praia Clube saiu na frente na decisão da edição 2020/2021 da Superliga Feminina de vôlei. Nesta quinta-feira (1), o time de Uberlândia (MG) bateu o rival Minas Tênis Clube por 3 sets a 1, com parciais de 25/21, 25/12, 21/25 e 25/22, no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ).

O segundo duelo do confronto, que reedita a decisão da Superliga 2018/2019, vencida pelo Minas, será no próximo sábado (3), às 21h (horário de Brasília), outra vez no CDV. Às minastenistas, só a vitória interessa para forçar o terceiro jogo na terça-feira (5), no mesmo horário e local. Em caso de mais um triunfo, o Praia garante o segundo título nacional da história (o primeiro foi em 2018).

O primeiro set teve o Praia de ponta a ponta na liderança. Agressiva, a equipe aurinegra cometeu mais erros (sete contra quatro), mas também encaixou mais ataques, com a ponteira Fernanda Garay fechando em 25 a 21.

A parcial seguinte foi totalmente dominada pela equipe de Uberlândia, com Brayelin Martinez inspirada. A ponteira dominicana anotou nove pontos de ataque e foi determinante para o Praia disparar no placar. Sem dar nenhum ponto de graça ao Minas, as aurinegras não tiveram trabalho para cravar 25 a 12, em um bloqueio da central Carol para cima da levantadora Pri Heldes.

As minastenistas acordaram no terceiro set, lideradas pela oposta norte-americana Dani Cuttino e a central Thaísa. As campeãs de 2019 exploraram o bloqueio do Praia, que passou a errar mais vezes. O time de Uberlândia até reduziu de oito para três pontos a diferença, mas um ataque de Cuttino em cima de Fê Garay sacramentou a vitória do Minas por 25 a 21.

O quarto set foi o mais equilibrado. O Minas abriu quatro pontos de vantagem, mas o Praia buscou a igualdade e as equipes se intercalaram no comando do placar até o empate por 15 a 15, quando a central Carol Gattaz atacou para fora e as aurinegras tomaram a dianteira para não mais perderem, fechando em 25 a 22 em uma bola fora da ponteira Kasiely.

>> Agência Brasil 

Treze vence clássico paraibano da Copa do Nordeste realizado no DF

Divulgação/Treze

Deu Treze no primeiro Clássico Tradição fora da Paraíba. Nesta quinta-feira (1), o Galo da Borborema derrotou o Botafogo-PB por 1 a 0 no estádio Boca do Jacaré, em Taguatinga (DF), pela sexta rodada da Copa do Nordeste.

A equipe de Campina Grande (PB) foi aos oito pontos e assumiu o quinto lugar do Grupo A, um ponto atrás do Sampaio Corrêa, quarto colocado e último na zona de classificação às quartas de final. Único time que ainda não venceu na competição, o Belo segue com quatro pontos e encerra a rodada na lanterna do Grupo B.

Apesar do mando trezeano, a partida teve que ser disputada no Distrito Federal devido a um decreto do Governo da Paraíba que proíbe a realização de jogos de futebol no estado para conter o avanço do novo coronavírus (covid-19). Foi, também, a primeira vez que um duelo pela Copa do Nordeste não foi realizado na região.

A missão do Botafogo ficou mais difícil com menos de um minuto de bola rolando, graças à expulsão do meia Kaio Wilker após uma entrada pesada em cima do zagueiro Marlon. Com um a mais, o Treze teve mais volume no primeiro tempo. Aos 42 minutos, Romeu balançou as redes, mas o lance foi anulado, pois o volante estava impedido. No minuto seguinte, o atacante Jairinho assustou em chute da entrada da área, defendido pelo goleiro Felipe.

O Belo voltou melhor do intervalo e obrigou o goleiro Jeferson a três ótimas defesas em sequência, entre os 11 e 12 minutos, em tentativas do meia Marcos Aurélio e do atacante Rafael Oliveira (duas vezes). Quem balançou as redes, porém, foi o Galo. Aos 33 minutos, o meia Ancelmo cruzou pela direita, Marlon cabeceou, o zagueiro Samuel salvou e o atacante João Leonardo, na sobra, fez o gol da vitória trezeana.

O Treze volta a campo neste domingo (4), às 18h (horário de Brasília), contra o Vitória, no Barradão, em Salvador. Na segunda-feira (5), o Botafogo recebe o Confiança no Almeidão, em João Pessoa, às 19h30.

>> Agência Brasil

Adiado em fevereiro, Rio Open 2021 é cancelado devido à pandemia

Fotojump/Divulgação/Rio Open

Principal torneio de tênis da América do Sul, o Rio Open não será realizado em 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Nesta quinta-feira (1), os organizadores do evento, que seria realizado em fevereiro e havia sido adiado, anunciaram o cancelamento da edição deste ano, confirmando o torneio para fevereiro de 2022, novamente no Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro.

“Havia a expectativa de um cenário mais nítido com relação ao controle da pandemia nos meses seguintes, o que permitiria a definição e aprovação de uma nova data, ainda em 2021. Infelizmente, até o momento, o cenário ainda é de indefinição”, diz a nota publicada no site oficial do Rio Open.

A competição, a primeira de nível ATP 500 no Brasil, seria disputada pela oitava vez. Jogadores no top-10 do ranking de simples da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), como o espanhol Rafael Nadal (terceiro), o austríaco Dominic Thiem (quarto) e o argentino Diego Schwartzman (nono) já foram campeões no Rio de Janeiro.

Em 2020, o chileno Cristian Garin, atual 20º do mundo, conquistou título de simples ao superar o italiano Gianluca Mager (102º). O argentino Marcel Granollers, 11º colocado no ranking de duplas da ATP, e o argentino Horacio Zeballos (sétimo) levaram a melhor entre as parcerias. A competição foi uma das últimas a serem realizadas antes do início da pandemia.

O Brasil nunca teve um campeão no Rio Open. Em 2019, Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva perderam a final de duplas para o argentino Máximo González e o chileno Nicolás Jarry. Em 2014, na primeira edição do evento, também nas duplas, Marcelo Melo bateu na trave ao lado do espanhol David Marreiro, ao ser derrotado pelos colombianos Robert Farah e Juan Sebastián Cabal na decisão. Em simples, o tênis brasileiro marcou três vezes presença nas quartas de final: Thomaz Bellucci (2014), João Souza (2015) e Thiago Monteiro (2017).

>> Agência Brasil

Pré-olímpico dos saltos ornamentais, Copa do Mundo é cancelada

Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19), a Federação Internacional de Natação (Fina) cancelou nesta quinta-feira (1) a Copa do Mundo de Saltos Ornamentais, que seria realizada entre os dias 18 e 23 deste mês, em Tóquio (Japão). No torneio, que funcionaria como pré-olímpico da modalidade, a seleção brasileira buscaria vagas para os Jogos de 2021, também na capital japonesa.

Segundo a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), o cancelamento foi informado por meio de comunicado, após a força tarefa da Fina avaliar que não seria possível garantir a saúde dos participantes em relação à covid-19. Ainda no documento, conforme a CBDA, “toda a logística ficaria prejudicada com o plano enviado pela organização local”.

Não há previsão de data de remarcação da Copa do Mundo. Segundo a CBDA, também pelo comunicado, a Fina se compromete a fazer “tudo que estiver ao alcance para definir o mais breve possível uma nova data e local para a realização da competição que definirá os nomes para os Jogos Olímpicos”.

O Brasil terá oito representantes na competição, classificados via seletiva realizada em fevereiro, no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro: Ingrid Oliveira, Giovanna Pedroso, Anna Lucia Santos, Luana Lira, Isaac Souza, Ian Matos, Luis Felipe Moura e Kawan Pereira. No Campeonato Sul-Americano de Esportes Aquáticos, em Buenos Aires (Argentina), os brasileiros foram 14 vezes ao pódio, com cinco ouros, e a seleção levou o título de campeã geral da modalidade.

>> Agência Brasil

Galo já sabe possíveis adversários da Libertadores

Divulgação

Com a definição dos potes nos quais se baseará o sorteio da fase de grupos da Copa Libertadores da América 2021, o Galo já sabe quais equipes poderá enfrentar nessa etapa da competição.

No sorteio do dia 9 de abril, como de costume, os participantes serão divididos em quatro potes, determinados através do ranking da Conmebol, e os grupos serão formados com uma equipe de cada pote.

Integrante do pote 2, o Atlético já sabe que, na fase de grupos, não enfrentará as equipes do seu mesmo pote: Defensa y Justicia (ARG), Internacional (BRA), Independiente Santa Fe (COL), Racing (ARG), LDU (EQU), Universidad Católica e Barcelona (EQU).

Pelos critérios do sorteio, times do mesmo país não podem ficar na mesma chave, com exceção das equipes advindas da fase prévia. Dessa forma, o adversário do porte 1 não poderá ser um time brasileiro, de modo que Palmeiras, Flamengo e São Paulo não poderão ficar no grupo atleticano.

Os possíveis adversários do Alvinegro no pote 1 são: Boca Juniors (ARG), River Plate (ARG), Cerro Porteño (PAR), Olimpia (PAR) e Nacional (URU).

Do pote 3, o Galo só não poderá enfrentar o Fluminense, de modo que tem como possíveis adversários os seguintes clubes: Vélez Sarsfield (ARG), Argentinos Juniors (ARG), Sporting Cristal (PER), América de Cali (COL), The Strongest (BOL), Universitario (PER) e Deportivo Táchira (VEN).

Já em relação ao pote 4, o Atlético poderá enfrentar qualquer equipe: Deportivo La Guaira (VEN), Unión La Calera (CHI), Always Ready (BOL) e Rentistas (URU), além dos vencedores dos seguintes confrontos:

Libertad (PAR) x Atlético Nacional (COL)
Grêmio (BRA) x Independiente Del Valle (EQU)
Bolívar (BOL) x Junior Barranquilla (COL)
Santos (BRA) x San Lorenzo (ARG)

>> Site oficial

De forma heroica, Caldense vence Atlético-MG de virada e faz “tríplice coroa” contra os grandes após 47 anos

Célio Messias/Caldense/Divulgação

Quem acompanhou a partida entre Caldense e Atlético-MG, pelo Campeonato Mineiro, nesta quinta-feira, 01 de abril, presenciou a história. Keno abriu o placar para o Galo, mas de forma heroica a Veterana foi guerreira e buscou a virada com Verrone e Gabriel Tonini.

O Verdão jogou com Passarelli, Danilo Belão, Jonathan Costa, Guilherme Martins, Verrone, Lucas Silva, Gabriel Tonini, David Lazari (Wagner), Rafael Peixoto (Denis Macedo), Bruno Oliveira e Amarildo (Tevez).

No primeiro tempo o time alviverde se portou muito bem. Jogando de forma inteligente, soube anular os pontos fortes do Atlético, que veio completo, com atletas como Hulk, Keno, Arana, Nacho, sob o comando do técnico Cuca.

A Caldense criou chances claríssimas, como o belo chute de Danilo Belão que quase acertou a gaveta e a cabeçada à queima-roupa de Rafael Peixoto, onde o goleiro Everson operou um milagre. Porém o time foi castigado aos 23 minutos. Nacho cobrou falta e Keno desviou de cabeça para abrir o placar.

Na etapa complementar a Veterana manteve a boa postura e voltou ainda mais ofensiva. Logo nos primeiros minutos pressionou intensamente o Atlético. E em uma sequência de três escanteios, após cobrança de Bruno Oliveira, a bola sobrou para Amarildo. O atacante rolou para Verrone, que chegou batendo cruzado, estufou as redes e igualou o marcador.

Motivada, a Veterana jogou com enorme garra, os jogadores se entregavam a cada jogada e não desistiam de nenhuma bola. Rafael Peixoto recebeu um cruzamento no centro da área, emendou um voleio e quase fez um gol antológico. O goleiro se esticou todo para espalmar.

Até que aos 36, Gabriel Tonini ganhou uma bola no campo de ataque, partiu para cima da marcação e bateu firme de fora da área no canto para fazer o gol da virada e da vitória. Fim de jogo: Caldense 2 x 1 Atlético.

Com o resultado a equipe alviverde repetiu o feito de 1974, ao vencer as três equipes da capital, Cruzeiro, Atlético e América, no mesmo ano. Agora a Veterana ocupa a terceira posição na tabela com 11 pontos.

>> Site oficial

Cuca avalia derrota do Atlético-MG como justa, vê falta de ritmo e explica Rabello atacante no fim

Pedro Souza/Divulgação/Atlético

Caiu a invencibilidade do Atlético na temporada de 2021. Após a derrota para a Caldense, por 2 a 1 (veja os lances no vídeo acima), o técnico Cuca reconheceu a superioridade do adversário, mas, apesar do resultado, não ficou totalmente insatisfeito com a atuação do time alvinegro. Essa foi a segunda partida no Campeonato Mineiro que o treinador contou com os atletas considerados titulares.

- Acho que foi uma vitória merecida pelo que eles jogaram. Não que a gente tenha jogado mal, eu não entendo que o Atlético jogou mal. Mas não jogou o que pode. Naturalmente, porque os jogadores fizeram o primeiro, segundo jogo. Falta conjunto, falta conhecimento mútuo e, sem dúvida nenhuma, falta ritmo de jogo, que vai sendo pego a medida que o tempo vai passando.

Cuca também lamentou as chances perdidas pelo Galo. A equipe foi para o intervalo com a vantagem no placar, mas sofreu o empate no começo da etapa final, não conseguiu reverter e ainda sofreu a virada aos 36 minutos do segundo tempo. Gabriel Tonini roubou a bola de Hyoran e acertou um belo chute de fora da área.

- Foi um erro de saída de bola nossa que acabou originando o segundo gol. Nós também tivemos chances para virar a partida com Sasha, Nacho, Arana. Tivemos algumas oportunidades que também poderíamos ter virado o jogo para 2 a 1. Mas eles foram felizes no arremate que fizeram de fora da área e acabaram vencendo justamente.

Igor Rabello de centroavante

Na reta final do jogo, tentando uma pressão pelo empate, Cuca promoveu a entrada de Igor Rabello improvisado como centroavante, o que não funcionou. O treinador explicou a tentativa.

- É, faltavam seis ou sete minutos de jogo. Lógico que, com eles tendo a vantagem no jogo, a bola ia ser oferecida pelo lado do campo. Como a gente tinha um time bem à frente, ia ter que ter um finalizador junto com o Sasha. Então, o Igor entrou com essa função. Até teve um ou outro lance ali que poderia ter finalizado. Mas, infelizmente, não teve resultado.

O treinador já está de olho na próxima rodada. Com 15 pontos e na liderança da competição, o Atlético volta a campo no domingo, contra o América, que tem a mesma pontuação. A partida será às 16h (de Brasília), no Mineirão. O comandante espera que o revés em Poços de Caldas deixe lições.

- Acho que o importante disso, de uma derrota assim, é os jogadores sentirem uma derrota, sabe? E terem noção do que a gente significa e do tamanho da responsabilidade que nós temos neste ano. Então, se for sentida essa derrota e levantarmos a guarda, e no domingo fizermos um grande jogo, a gente vai entender que são coisas naturais, que acontecem dentro de um campeonato difícil como esse.

>> Globo Esporte

O que disse Felipe Conceição, técnico do Cruzeiro, após o empate com o Tombense

Divulgação/Cruzeiro

Durante o confronto com o Tombense, realizado na tarde dessa quinta-feira, no Mineirão, o Cruzeiro teve o controle das ações ofensivas, criou algumas chances, mas não conseguiu balançar as redes. Após o confronto, Felipe Conceição fez uma avaliação da atuação de seus comandados e demonstrou confiança na evolução do time celeste ao longo da temporada.

"Houve uma evolução depois dessa primeira fase de vários jogos em um mês. Tivemos um período de treinamentos e agora retornamos. Gostei da questão de evolução da equipe, das movimentações ofensivas. Voltamos a movimentar bem, a criar chances de um lado, de outro e por dentro. Na questão defensiva, também conseguimos ser uma equipe agressiva. Até o momento em que estávamos com igualdade em campo (no número de atletas), mantivemos uma postura muito agressiva", disse.

"Dentro do processo que a gente acredita, isso me deixa satisfeito. Não podemos perder esse caminho. Quando você consegue fazer 65 minutos no nível que fizemos, a tendência é, se a gente não sair do caminho e continuar trabalhando forte, é que na próxima partida essa performance seja por mais tempo", acrescentou.

"Hoje tivemos um controle maior do jogo, um controle maior da partida, maior agressividade, voltamos a recuperar a bola no campo do adversário, foram várias. Comandamos o adversário e o jogamos para trás. Com o passar do tempo houve um desgaste. Infelizmente a nossa bola não entrou, mas vai entrar. Essa ansiedade nossa também de querer que as coisas aconteçam de um dia para o outro também gera esses erros no último terço. Isso faz parte, mas nós vamos com naturalidade ajustar isso. Tenho certeza que, quando a bola começar a entrar, vai sair esse peso dos atletas e a gente vai produzir em gol, em números, o que a gente está produzindo em relação ao controle do jogo", finalizou.

>> Site oficial

Fábio em grande atuação salva o Cruzeiro e evita derrota da Raposa para o Tombense

Divulgação/Cruzeiro

O Cruzeiro deu sequência à fraca campanha no Campeonato Mineiro ao empatar por 0 a 0 com o Tombense, nesta quinta-feira, no Mineirão, pela sexta rodada. O ponto somado só não escapou porque o goleiro Fábio salvou o time ao defender um pênalti cobrado por Paulinho Dias, aos 29 minutos do segundo tempo. Aos 44, ele ainda brilhou ao se atirar aos pés de Alípio, que se aproveitou de trapalhada de Manoel e Ramon e quase balançou a rede para os visitantes.

Na parte ofensiva, a melhor oportunidade da Raposa foi um chute na trave de Matheus Barbosa, aos 2min da etapa final. Felipe Garcia, goleiro do Tombense, também apareceu bem com intervenções em tentativas de Felipe Augusto e Airton. Contudo, a maior parte dos ataques celestes eram oriundos de arremates sem direção de longa distância, o que mostra a deficiência na definição das jogadas.

O resultado em Belo Horizonte fez o Cruzeiro chegar a oito pontos no Mineiro, na sexta posição - duas vitórias, dois empates, duas derrotas, quatro gols marcados e três sofridos. O técnico Felipe Conceição praticamente não terá tempo de preparação até o próximo compromisso, contra o Boa Esporte, às 11h de domingo, no estádio Melão, em Varginha.

O comandante não contará com o lateral-esquerdo Alan Ruschel, expulso diante do Tombense. Em contrapartida, terá Matheus Pereira à disposição. Existe ainda a possibilidade de o volante Rômulo, contratado após nove temporadas no futebol italiano, aparecer entre os convocados.

O jogo

Na véspera de enfrentar o Tombense, Conceição disse em entrevista ao Superesportes que um dos objetivos em curto prazo era encontrar uma escalação-base para o Cruzeiro. As duas principais novidades foram o meia Marcinho e o atacante Bruno José. O treinador também promoveu os retornos de Manoel, Matheus Barbosa e Rafael Sobis.

Com mais de 60% de posse de bola no primeiro tempo, o time celeste trocou passes de um lado para o outro em busca de espaço, porém esbarrou na marcação do adversário nos momentos em que tentou a penetração na área. Chance de perigo só aos 37 minutos, com Felipe Augusto, que recebeu de Sobis e exigiu boa defesa de Felipe Garcia.


Por causa das dificuldades da etapa inicial, Conceição efetuou uma mudança no intervalo. Airton substituiu Felipe Augusto e mostrou seu cartão de visitas logo aos 2min. Acionado por Marcinho na ponta esquerda, o camisa 7 levou a redonda para o meio e soltou a bomba no canto. Felipe Garcia espalmou.

O Cruzeiro continuou em cima. Aos 3min, a zaga do Tombense se atrapalhou ao cortar cruzamento de Bruno José, e Matheus Barbosa chegou batendo de primeira. A bola explodiu na trave. Aos 4min, Cáceres cruzou, Matheus Lopes tentou tirar de peito e quase marcou contra. Felipe Garcia caiu no canto e salvou a equipe de Tombos.

Depois de começar bem o segundo tempo, o Cruzeiro caiu de ritmo e voltou a pecar pelos erros de passe no campo ofensivo. Já o Tombense se arriscou um pouco mais, sobretudo com as entradas de Daniel Amorim e Jhemerson nas vagas de Pablo e Matheus Paquetá.

Aos 27min, Everton escapou pela ponta esquerda e rolou a bola em direção à meia-lua. Jhemerson encheu o pé na finalização, porém Alan Ruschel, que já tinha amarelo, colocou a mão na bola. Pênalti a favor do Tombense, cartão vermelho para o lateral do Cruzeiro. Para a sorte da equipe celeste, Fábio escolheu o canto direito e segurou a batida de Paulinho Dias. Foi a 32ª cobrança defendida pelo camisa 1 em 929 jogos pela Raposa.

A participação de Fábio não se resumiu à defesa do pênalti. Aos 44min, ele cresceu na frente de Alípio e encaixou a bola, após trapalhada de Manoel e Ramon na saída de bola. No lance anterior, o Cruzeiro desperdiçou um ataque que poderia lhe garantir os três pontos, quando William Pottker chutou de pé esquerdo rente à trave direita.

CRUZEIRO 0X0 TOMBENSE

CRUZEIRO - Fábio; Cáceres, Manoel, Ramon e Alan Ruschel; Adriano, Matheus Barbosa (Kaiki, aos 31min do 2ºT) e Marcinho (Claudinho, aos 16min do 2ºT); Bruno José (William Pottker, aos 22min do 2ºT), Felipe Augusto (Airton, no intervalo) e Rafael Sobis (Thiago, aos 16min do 2ºT)
Técnico: Felipe Conceição

TOMBENSE - Felipe Garcia; David, Wesley, Matheus Lopes e João Paulo; Rodrigo, Paulinho Dias e Pablo (Daniel Amorim, aos 16min do 2ºT); Matheus Paquetá (Jhemerson, aos 16min do 2ºT), Rodrigo Carioca (Alípio, aos 37min do 2ºT) e Everton (Marquinhos, aos 43min do 2ºT)
Técnico: Bruno Pivetti

Cartões amarelos: Alan Ruschel, aos 12min e aos 27min do 2ºT (Cruzeiro); Alípio, aos 44min do 2ºT (Tombense)

Cartão vermelho: Alan Ruschel, aos 27min do 2ºT (Cruzeiro)

Motivo: sexta rodada do Campeonato Mineiro

Estádio: Mineirão

Data: quinta-feira, 1º de abril de 2021

Árbitro: Felipe Fernandes de Lima

Assistentes: Frederico Soares Vilarinho e Magno Arantes Lira

>> Superesportes

Atlético encerra preparação para encarar Caldense; veja provável escalação

Série B: projeção no Cruzeiro é de novidades no elenco até o fim do Mineiro

São Luiz é melhor, mas Grêmio busca empate pelo Campeonato Gaúcho

Flamengo derrota Bangu e amplia vantagem na liderança do Carioca

Copa do Nordeste: Sport bate Santa Cruz com gol de pênalti no fim

Brasília recebe reta final da primeira fase do Novo Basquete Brasil

terça-feira, 30 de março de 2021

O futebol caranguejo que é jogado atualmente no Brasil

Jean aciona Justiça e cobra R$1,2 milhão em direito de imagem do Cruzeiro

Um dos maiores jogadores da história do Cruzeiro, Dirceu Lopes é vacinado contra a Covid-19

Sem acordo, Atlético e Rafael Carioca aguardam novo julgamento da Justiça

Galo: jogadores da base vão ter mais oportunidade e clube vai aumentar captação

Cruzeiro terá mudanças para o jogo contra o Tombense, na quinta. Veja quais

Em entrevista, Thiago Neves diz que se arrepende de provocar Atlético e cita tragédia no Cruzeiro

Alonso destaca busca por equilíbrio no Galo