Idoso acusado de abusar de menina é linchado no Norte de Minas

Reprodução/Google Street Wiew
Estado de Minas 

Um comerciante aposentado, de 70 anos, morreu em virtude de agressões que sofreu por causa da suspeita de abusar sexualmente de uma menina de 11 anos, no Bairro Vila Verde, em Januária, no Norte de Minas, nesta terça-feira. Joaquim Alves Pereira foi agredido com chutes e pedras e sofreu traumatismo craniano. A Policia Civil de Januária instaurou inquérito para apurar o linchamento.

De acordo com o boletim de ocorrência da Policia Militar, a menina relatou que, quando passava em frente à casa do aposentado, foi arrastada por ele para dentro do residência. A menor disse que Joaquim Pereira retirou as roupas dela e começou a cariciar o seu corpo e os seios. Nesse momento, ela gritou por socorro, chamando a atenção dos vizinhos que entraram no imóvel e passaram a agredir o suspeito. O homem é tio da mãe da menina e vizinho dela.

Quando a PM chegou ao local, o idoso estava caído no quintal da casa, agonizando, com diversas marcas de agressões na cabeça e em outras partes do corpo. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado ao Hospital Municipal de Januária, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A criança também foi levada para a unidade de saúde, onde passou por exames, sendo liberada em seguida. Ela também foi submetida exame de corpo de delito, cujo laudo ainda será divulgado.

O corpo do aposentado foi encaminhado para necropsia no Instituto Médico-Legal (IML) de Januária, de onde foi liberado para o sepultamento no cemitério municipal da cidade na tarde desta terça-feira. A delegada regional de Januária, Lujan Souza, disse que a morte foi provocada por traumatismo craniano. Ela disse que ainda não se sabe quantas pessoas participaram do linchamento do suspeito do abuso sexual contra uma criança, o que vai ser apurado no inquérito policial.

Ainda segundo a delegada, sendo identificadas, as pessoas que resolveram fazer “justiça com as próprias mãos” serão indiciadas e vão responder pelo crime de homicídio. O resultado do inquérito, presidido pelo delegado de Homicídios de Januária, Willian Araújo, deverá ser divulgado dentro de 30 dias.

Postar um comentário

0 Comentários