Presidente do Cruzeiro defende volta da torcida ao Mineirão e propõe início de negociações com CBF e FMF

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, defendeu a volta da torcida no Mineirão e propôs uma conversa com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação Mineira de Futebol (FMF) para tornar a medida possível. Em publicação no Instagram neste domingo, o dirigente destacou a importância do apoio dos torcedores e citou competições de todo o mundo como exemplo para a proposta.
“Estou nos jogos do Cruzeiro desde que os protocolos de segurança foram estabelecidos. Temos visto muito avanço nos controles e nas medidas de segurança, mas o futebol sem a nossa torcida não é o mesmo. Os jogos da NFL, F1 e alguns jogos de futebol na Europa começaram a ensaiar a participação do torcedor, que é sem dúvida nenhuma o maior prejudicado com os portões fechados”, escreveu Sérgio.

A Alemanha foi o primeiro país a restabelecer a volta dos campeonatos de futebol, em maio. No entanto, apenas em setembro, quando a incidência do coronavírus na europa diminuiu de forma considerável (no total, são 250 mil casos e cerca de 10 mil mortes), a presença da torcida nos estádios foi autorizada. Ainda sim, há um controle no número de pessoas nas arquibancadas.

Na NFL, liga profissional de futebol americano dos Estados Unidos, a situação é diferente. Alguns times se comprometeram a estabelecer protocolos próprios para controle da COVID-19 em seus estádios. Outros terão seus jogos sem a presença de público, pelo menos neste começo de temporada, iniciada nessa semana.

Apesar do rígido protocolo estabelecido pela CBF, há casos de atletas e membros de comissões técnicas diagnosticados com a doença. No Brasil, até o momento, são mais de quatro milhões de casos e cerca de 130 mil vítimas.

Em Minas Gerais, mais de 250 mil pessoas foram contaminadas pelo coronavírus, enquanto o número de mortes passa de seis mil. Já em Belo Horizonte, são mais de 36 mil registros da doença e cerca de mil vítimas.

Mesmo assim, Sérgio acredita que, em conjunto com a entidade máxima do futebol brasileiro e a FMF, será possível ter a presença dos torcedores nos estádios em um futuro próximo. Ele, inclusive, se prontificou a auxiliar no processo para tornar a medida viável.

“E eu sei a falta que uma voz Cruzeirense faz no estádio e a falta que o estádio faz para o coração deste torcedor. Certamente essa relação se dá em outros clubes. Com segurança, redução da capacidade e aumento ainda maior das medidas de controle, eu acredito que podemos pensar em ter nossa torcida ao lado. Vamos pensar juntos, CBF e FMF?”, concluiu.

Superesportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.