Novo áudio vazado de Itair Machado coloca ainda mais fogo no bagunçado Cruzeiro

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro
O futuro do Cruzeiro é uma incógnita. Certo mesmo é que o clube vai disputar a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, mas dizer neste momento que a Raposa tem a paz necessária para planejar o ano que vem não é possível. Os bastidores políticos estão incendiados e a cada dia um novo áudio com declarações polêmicas envolvendo dirigentes vêm à tona. Mais uma vez Itair Machado aparece como protagonista disso tudo.

Em um áudio com duração de mais de cinco minutos vazado no WhatsApp, Itair Machado atacou o atual gestor de futebol Zezé Perrella e a oposição do Cruzeiro, repetindo discursos ainda da época em que tinha o "poder da caneta" no clube.

"O Zezé tem mentido aí, ou é falta de conhecimento dele. A folha do Cruzeiro hoje é de R$ 9 milhões, sem imposto. O Cruzeiro paga R$ 1 milhão para jogadores que estão emprestados. O Mano não quis, e a gente teve que emprestar. Porém, quando eu assumi, eram R$ 2,5 milhões ao mês que o Cruzeiro pagava de salários para jogadores emprestados. Aos poucos fomos arrumando a casa. Mas reconheço que a parte administrativa lá na sede estava errada sim", disse.

Itair também se eximiu de culpa e atacou os adversários políticos. E chegou a, mesmo sem citar nome, indicar que um ex-dirigente do clube usa "milícia virtual" para atacá-lo.

"A força para desmentir uma denúncia negativa ela é muito pequena. A torcida do Cruzeiro nas redes sociais se deixa levar pelas fake news, e tem um ex-dirigente do Cruzeiro, que por questão de processo não vou citar o nome, ele tem uma milícia muito forte na rede social, ele tem muito dinheiro e banca muita gente mensalmente só para bater", comentou.

Fora do Brasil, Itair Machado, segundo apurou o Hoje em Dia, passou pelos Estados Unidos nos últimos dias, inclusive na companhia da esposa e do sogro. No entanto, ele diz que está em Portugal no momento em que gravou o áudio.

"Estou em viagem, estou em Portugal. Espalharam que eu estava nos Estados Unidos, mas essa viagem minha estava marcada desde julho, foi marcada para quando o campeonato encerrasse. Infelizmente encerrou da maneira que foi sem a minha presença, que eu já sai já tem mais de dois meses", falou mais uma vez se isentando de culpa pelo atual momento do Cruzeiro.

Uma das situações mais criticadas por Itair Machado envolveu a parte administrativa do Cruzeiro.

"O que eu fiz pelo Cruzeiro foi ganhar título. Graças a Deus eu tenho uma estabilidade hoje que não precisava de salário do Cruzeiro. Mas o salário do Cruzeiro para você ter ideia, o meu estava atrás de cinco dirigentes do mercado. E modéstia a parte pegar um clube quebrado como peguei, eu procurava arrumar o dinheiro para o futebol. Tentaram me envolver em erros administrativos que não foi eu, não sabia que tinha diretor ganhando R$ 125 mil por mês e falei isso com o presidente, que foi um grande erro vários salários alto. No futebol não tem salário fora do mercado não. O Cruzeiro é gigante, tem que ter time para peitar todo mundo. Até no momento da Libertadores ali que terminamos em primeiro a mídia só se falava em Cruzeiro, depois é que vinha o Palmeiras e o Flamengo. Aí veio essa matéria do Fantástico. A matéria, se você tem algum amigo advogado, pega ela na internet e manda ele olhar se tem alguma ilegalidade ali. Aquilo ali, o repórter quis crescer às custas do Cruzeiro. Quem entregou tudo para ele foi o ex-candidato, que também não vou falar o nome, porque dá processo. Ele também tinha acesso a documentos do Cruzeiro, nada ali foi ilegal", criticou.

No áudio o ex-dirigente ainda disse que a oposição do Cruzeiro sempre quis denegrir sua imagem.

"Provou-se, desde o primeiro momento, que o que eles (oposição) queriam, o acordo que foi foi feito com os dois repórteres com o ex-candidato, foi denegrir a minha imagem. Eles queriam me tirar do Cruzeiro. Só que eles esqueceram que ia sangrar o Cruzeiro. E sangrou. Quando saí, avisei ao Zezé que o Cruzeiro estava para cair. Pedi a eles sete jogos de paz. E não me deram. Tenho como provar isso aí, será mostrado, tenho áudio. Pedi a eles sete jogos de paz, que ia tirar o Cruzeiro do rebaixamento. Eles não deram. Então, me reuni com o presidente, e nós entendemos que era melhor ele me tirar".

Esse é o segundo áudio de Itair Machado publicado nesta semana. O Hoje em Dia publicou na última segunda-feira um diálogo de Wagner Pires de Sá com o ex vice-presidente de futebol. E na mensagem, Machado indicava que o atual presidente renunciasse ao cargo e viajasse, porque em Belo Horizonte o momento estava "muito perigoso".

(Guilherme Piu - Hoje em Dia)

Postar um comentário

0 Comentários