A mais completa cobertura. O blog campeão absoluto de visualizações. SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS NO FACEBOOK, YOUTUBE, INSTAGRAM E TWITTER. ACESSE NOSSO SITE: www.futblogdosorriso.com.br

domingo, 13 de fevereiro de 2022

Keno estreia com pé direito na temporada e comanda vitória do Atlético por 2 a 0 sobre o América

Divulgação

Keno fechou a temporada de 2021 como um dos destaques da campanha vitoriosa do Atlético. Em seu primeiro jogo do ano, o atacante dá uma mostra que 2022 não será diferente: ele foi a grande estrela da vitória sobre o América, por 2 a 0, no Independência.

Depois de se recuperar de Covid-19, o baiano realizou o seu primeiro jogo, entrando no lugar de Zaracho na segunda etapa. Não precisou de muito tempo para exibir suas credenciais, sendo determinante no gol atleticano.

Ele foi responsável pelo cruzamento que, pouco depois de sua entrada, culminou no gol de Arana. E também teve participação no segundo, de Savarino. Sem falar nas tabelas e no trabalho que deu à defesa do Coelho em suas incursões na área.

Com o resultado, o Galo ampliou a sua invencibilidade diante do rival mineiro - são 19 jogos, com 14 vitórias e cinco empates. A última conquista do América aconteceu no Campeonato Mineiro de 2016.

Após ser conhecer a sua primeira derrota no ano, diante da URT, jogando com reservas, o desempenho contra o América anima os torcedores para o esperado confronto do dia 20, com o Flamengo, pela Supercopa do Brasil. Antes, enfrenta o Athletic, na terça-feira, pelo Mineiro.

Já o América, que venceu o Cruzeiro, jogou de igual para igual até o Galo exibir seu arsenal, com as entradas de Keno e Savarino colocando fogo no clássico. O Coelho agora enfrentaq o Patrocinense, no Horto, na quarta-feira, também pelo Mineiro.

O jogo

O Atlético começou melhor, com maior presença no campo do América, especialmente pelo lado direito, onde caía Ademir, ex-América. O argentino Zaracho foi a opção pela esquerda, com o artilheiro Hulk como homem de frente.

O América demorou um pouco para se ajustar ao esquema do Galo, sobressaindo-se pela marcação forte. Aos sete minutos, o volante Zé Ricardo já tinha sido advertido com o cartão amarelo.

Com bola mais de pé em pé, o alvinegro pressionou bastante nos primeiros 15 minutos, mas sem exibir uma jogada de grande perigo. Hulk estava muito marcado, com os jogadores do Coelho se revezando no combate individual.

Sem poder contar com o meia-atacante Felipe Azevedo, que testou positivo para Covid-19, o time da casa passou a aparecer mais no campo adversário, com Wellington Paulista quase abrindo o placar de cabeça, aos 20 minutos.

Os ânimos ficaram elevados e houve excesso de faltas e cartões amarelos. O Atlético levou a pior: foi para o vestiário com quatro pendurados, três deles na defesa. Depois da advertência a Zé Ricardo, o Coelho só levou mais um cartão, para Alê.

Nos minutos finais, o Galo teve a sua melhor chance, nos pés de Zaracho. O meia Nacho fez o lançamento e encontrou o compatriota na direita. Zaracho chutou cruzado, de primeira, obrigando Jori a defender uma mão só, para escanteio.

No início do segundo tempo, o time comandado por Antonio  Mohamed buscou retomar o controle do jogo, com maior movimentação no ataque. Já aos 5 minutos, Zaracho fez um excelente lançamento para Ademir, que, com muita velocidade, chegou à área americana, pela direita, e chutou com força. Jori fez outra boa defesa.

Hulk começou a ganhar maior espaço e, logo após o lance de Ademir, o paraibano subiu sozinho para cabecear a gol, após bom cruzamento de Nacho da direita. O artilheiro não aproveitou e mandou para fora.

Em jogada semelhante, Arana lançou para Zaracho, com o argentino se chocando com o goleiro americano. Ele tentou voltar à partida, mas logo depois, sem condições, foi substituído por Keno.

A estrela do atacante baiano não demorou a aparecer. Aos 26 minutos, ele fez cruzamento da direita, com Nacho preparando de cabeça para Arana, de cara para o gol, emenda de perna esquerda, fazendo 1 a 0 para o Galo.

O Galo ampliou aos 37, em nova participação decisiva de Keno. Foi dele um passo preciso para Arana, que, infiltrado na pequena área, tocou para Hulk chutar. Jori defendeu, mas a bola foi parar nos pés de Savarino, que completou de voleio para as redes.

América

Jori; Patric (Raul Cáceres), Iago Maidana, Éder e Marlon; Zé Ricardo (Juan Ramírez), Juninho, Lucas Kal e Alê (Rodriguinho);Henrique Almeida (Matheusinho) e Wellington Paulista. 

Técnico: Marquinhos Santos

Atlético

Everson; Mariano, Nathan Silva, Godín e Guilherme Arana; Allan, Jair (Sávio), Zaracho (Keno) e Nacho Fernández (Réver); Ademir (Savarino) e Hulk. 

Técnico: Antonio Mohamed

(Hoje em Dia) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.