Publicidade

Publicidade

Publicidade

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

De Açucena! Família de pedreiro atropelado em Portugal tenta arrecadar mais de R$ 50 mil para traslado do corpo para o Brasil

Reprodução/Redes Sociais
Um homem de 35 anos morreu depois de ser atropelado nessa terça-feira (10) em Alcobaça, cidade de Portugal. Familiares promoveram uma campanha nas redes sociais para arrecadar os valores do traslado. Segundo o cunhado de Werlen Ramos, ele era natural de Açucena (MG) e estava há sete meses no país europeu, onde trabalhava como pedreiro.

De acordo com Edi Carlos, cunhado da vítima, para trazer o corpo para o Brasil será preciso pagar 12 mil euros (cerca de R$ 55 mil), valor fora da realidade financeira da família. Várias publicações foram feitas no Facebook e já foram compartilhadas por mais de 100 pessoas.

"É um momento de tristeza e de muita dificuldade. Nessa vida não somos nada, mas quando há mais pessoas, somos mais fortes. Porque unidos, podemos fazer mais coisas" , conta.

Edi contou ao G1 que Werlen foi atropelado enquanto ele e outros três amigos guiavam o carro em uma rodovia, porque a gasolina havia acabado. Ele voltava do trabalhado no início da noite.

“Ele estava acompanhado por outros três amigos. Ele ficou do lado de fora guiando o carro com a mão no volante, e os outros três estavam atrás empurrando o carro. Em um certo momento, um carro veio, no mesmo sentido em que Werlen estava, e acabou atingindo-o", relatou o cunhado. O familiar disse ainda que o motorista prestou os socorros, mas Werlen não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Conforme Edi, até o momento, o motorista não havia sido preso.

Werlen Ramos nasceu em Açucena e morava com a família, entre eles dois filhos, de 12 e 17 anos, os pais, irmãos e primos.

"A gente é a chave da porta da nossa casa. Quando você sai de manhã, você tranca a porta da sua casa. Quando você volta à tarde, você vai abri-la. É um momento de muita dor, por conta de ele estar lá (Portugal) e não sabermos como ele vai chegar (no Brasil) e, até então, essa porta está fechada. É muito difícil para nós que somos familiares e amigos, porque ele era um cara muito querido que tinha sonhos", lamentou Edi.

Segundo o cunhado, Werlen aprovava a vida que levava em Portugal e que depositava pensões mensais para os filhos. Informou ainda que ele tinha o objetivo de voltar para o Brasil, onde pretendia construir uma casa e montar um serviço próprio.

Esse é o segundo caso que o G1 mostra nos últimos dois meses de uma família que precisa se mobilizar para trazer um corpo de Portugal ao Brasil. Em outubro, Camila da Silva Mendes, de 30 anos, foi morta pelo namorado, com um golpe de arma branca, e teve o corpo colocado em uma mala e abandonado na mata, em Arruda dos Vinhos, distrito de Lisboa.

A família iniciou uma campanha para arrecadar cerca de R$ 30 mil, valor necessário para fazer o traslado do corpo para Ipatinga (MG). Na época, os familiares tinham a opção de fazer o sepultamento do corpo em Portugal, o que custaria, aproximadamente, R$ 16 mil.

Um empresário de Limeira (SP) ficou sensibilizado e doou R$ 15 mil para a família que conseguiu arrecadar o dinheiro necessário e trazer o corpo para o Brasil. A mineira foi sepultada duas semanas após o crime.

(G1 dos Vales)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.