A mais completa cobertura. O blog campeão absoluto de visualizações. SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS NO FACEBOOK, YOUTUBE, INSTAGRAM E TWITTER. ACESSE NOSSO SITE: www.futblogdosorriso.com.br

quarta-feira, 2 de março de 2022

Soldado russo se rende, é alimentado por ucranianos e chora ao ser colocado para falar com a mãe ao telefone

Reprodução/Instagram 

Vídeo mostra soldado russo se rendendo sem lutar e chorando em mensagem a parentes

São 6 mil soldados russos mortos no conflito até agora, de acordo com a Ucrânia; Putin fala em 468 mortos

Em meio a relatos de vários militares russos se entregando na Ucrânia, o Exército do país ucraniano divulgou imagens de um soldado inimigo que teria se rendido sem lutar e chorado ao enviar mensagens a parentes. Uma imagem publicada no Twitter pela jornalista Anastasiia Lapatina mostra o que seria um soldado russo recebendo comida e chá após também se entregar

Ainda de acordo com reportagem do "Sun", há relatos de soldados que estão sabotando seu próprio equipamento militar em uma tentativa de sair da guerra. Uma frota de navios de guerra teria desistido em cima da hora de atacar a cidade de Odessa, segunda maior da Ucrânia, após motim a bordo.

O ataque de Putin, presidente russo, à capital, Kiev, parece ter cessado no sétimo dia. São 6 mil soldados russos mortos no conflito até agora, de acordo com a Ucrânia. Putin fala em 468 mortos.

Mensagens de rádio interceptadas ainda indicam que as tropas estão desobedecendo as ordens de Moscou de bombardear as cidades inimigas, e reclamando de falta de comida e combustível

Mensagens de rádio interceptadas indicam que as tropas estão desobedecendo as ordens de Moscou de bombardear cidades ucranianas e reclamando da falta de comida e combustível.

Em uma gravação, um soldado perde a paciência ao perguntar quando chegará comida ou combustível ao front. "Estamos aqui há três dias! Quando diabos estará pronto?", grita ele, conforme relatado "The Telegraph".

De acordo com o "Metro", o Ministério do Interior da Ucrânia "convidou" mulheres russas para virem ao país a fim de buscar os seus filhos que não querem participar da guerra. Em solo russo, mães de recrutas acusam as autoridades militares de forçarem seus filhos a ir para o front.

(Correio 24 Horas) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.