terça-feira, 14 de julho de 2020

Corinthians terá de pagar quase R$ 1 milhão ao ex-atacante Clodoaldo

Foto: Arquivo Pessoal
O ex-atacante Clodoaldo, presente na campanha do rebaixamento do Corinthians em 2007, ganhou uma ação trabalhista contra o clube.

O valor, segundo a advogada Gislaine Nunes, que defende o ex-atleta, é de R$ 924,8 mil. O Timão contestou na Justiça reclamando de uma diferença de R$ 94 mil, mas o processo já está em execução. Assim que os cálculos forem homologados pelo juiz, a dívida será executada.

Procurado, o Corinthians ainda não comentou sobre a ação.

Hoje com 41 anos e trabalhando como auxiliar técnico de uma equipe na Colômbia, Clodoaldo moveu um processo contra o clube pedindo valores relativos a direito de imagem e direito de arena, além de direitos trabalhistas como 13º salário, férias e FGTS. Valores que aumentaram por conta dos juros.

A informação, publicada inicialmente pelo site "Meu Timão", foi confirmadas pelo GloboEsporte.com.

O processo foi iniciado em 2012, um ano depois de o jogador ter seu vínculo encerrado com o clube. O departamento jurídico levou o caso para as últimas instâncias, mas foi condenado. A tendência é que ocorra um acordo de parcelamento dos valores.

Clodoaldo fez apenas 20 jogos pelo Corinthians, com cinco gols marcados. O último aconteceu no empate por 1 a 1 contra o Grêmio, no Olímpico, na última rodada do Brasileirão, em resultado que rebaixou o Timão.

Ações na Justiça

O Corinthians vive batalhas judiciais contra vários ex-jogadores, clubes e empresários. O atacante Jonathas, por exemplo, que teve passagem apagada em 2018, pede R$ 2 milhões em valores referentes a direito de imagem.

Giovanni Augusto buscou a Justiça para cobrar R$ 924 mil de indenização por atraso no pagamento de férias e por não ter recebido FGTS por 14 meses. Há ações trabalhistas em andamento com ex-jogadores como o ex-volante Magrão, o ex-meia Diogo Rincón o e zagueiro Anderson Martins. O ex-volante Marcelo Mattos fez acordo para receber quase R$ 500 mil.

A dívida que tem gerado mais barulho é a que envolve o volante Jucilei e o clube J.Malucelli. A Justiça bloqueou R$ 23 milhões que o clube tem a receber com cotas de TV por conta desta dívida, que não apareceu por completo no balanço de 2019 e, por isso, vem sendo reprovada pelos órgãos do clube.

Em entrevista ao Esporte Espetacular na última semana, o diretor financeiro Matias Ávila comentou sobre as ações que o clube tem perdido na Justiça.

– O problema é o seguinte: quando há um problema judicial, muitas vezes você não consegue resolver. A dívida do Jucilei (com o J.Malucelli) era de R$ 6 milhões que viraram R$ 15 milhões. Nós tínhamos pago R$ 2 milhões e tinha mais R$ 13 milhões para pagar. O caso do Marcelo Matos tem muitas discussões, umas você ganha e outras perde. E isso acontece com qualquer clube brasileiro. Não é um problema de R$ 500 mil que vai criar um problema para um clube que fatura R$ 500 milhões. O Corinthians é muito grande, tem seus problemas, mas está absolutamente controlado – disse.

Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.