Enderson lamenta perda de pontos e diz que Cruzeiro vai conviver com zona de rebaixamento no início da Série B

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro/Divulgação
O Cruzeiro começará a Série B do Campeonato Brasileiro com menos seis pontos em razão de uma punição aplicada pelo Comitê Disciplinar da Fifa. O clube não pagou ao Al Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, dívida de 850 mil euros (cerca de R$ 4,8 milhões na cotação atual) pela contratação do volante Denílson, em julho de 2016. O técnico Enderson Moreira classificou o caso como “grande derrota” e ressaltou que, por esse motivo, o time conviverá com a zona de rebaixamento da segunda divisão por pelo menos “quatro ou cinco rodadas”.

“Foi uma grande derrota que tivemos, na verdade, antes de o campeonato ser iniciado. Eu preciso ser muito claro e transparente com o torcedor: vamos conviver com a zona de rebaixamento por pelo menos umas quatro ou cinco rodadas, não há como escapar disso. Você olha para a tabela, e o Cruzeiro vai estar ali perto. Por mais que a gente consiga vencer os jogos, podemos ter um empate fora de casa, não conseguir um bom resultado. Precisamos ter tranquilidade para entender esse início”, afirmou Enderson, em participação neste domingo no programa Mesa Redonda, da Rádio Itatiaia.

O treinador ressaltou a necessidade de o time “zerar” a pontuação já nos dois primeiros duelos da Série B, contra Botafogo de Ribeirão Preto (casa) e Guarani (fora). Na sequência, a Raposa pega Figueirense (fora), Chapecoense (casa) e Confiança (fora).

“Se a gente ganha os dois primeiros jogos, estamos com menos seis, aí vamos a zero. Não vamos sair de uma rabeira de classificação, e ainda contando que os adversários não consigam pontuar. Vamos conviver com isso por um tempo maior”.

Na opinião de Enderson Moreira, o que vai valer para o Cruzeiro se recuperar e brigar pelo acesso à primeira divisão é apresentar bom futebol com regularidade.

“Se nosso time demonstrar ao torcedor, a vocês da imprensa e aos nosso adversários um futebol de qualidade, podemos minimizar muito essa pressão. Tenho certeza que o torcedor vai olhar e falar: ‘o time está jogando bem, é questão de tempo chegar à zona de classificação' e conquistar uma pontuação suficiente para esse retorno. Agora, se a equipe tiver dificuldade para enfrentar os adversários, claro que a pressão será maior neste início de campeonato”.

Em 28 de maio, o Cruzeiro escapou de outra punição na Fifa ao pagar 600 mil euros (R$ 3,5 milhões) ao Zorya, da Ucrânia, pela compra dos direitos econômicos do atacante Willian, em julho de 2014. O aporte foi feito pelo empresário Pedro Lourenço, dono do Supermercados BH, patrocinador máster do clube.

Ainda há cerca de 1 milhão de euros (R$ 5,68 milhões) que são discutidos nos tribunais da Fifa. A tendência é que a Raposa quite o restante do valor no segundo semestre de 2020, a fim de evitar nova perda de pontos na Série B.

Em meio à pandemia do novo coronavírus no Brasil, a CBF ainda não estipulou uma data para iniciar a segunda divisão nacional, nem tampouco definiu se os estaduais terão continuidade. O time celeste jogou pela última vez em 15 de março, quando perdeu para o Coimbra por 1 a 0, no Independência, pela nona rodada do Campeonato Mineiro.

Superesportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.