Galo indigesto: time defende em Itaquera a quarta melhor campanha como visitante

Bruno Cantini / Atlético / Divulgação
Hoje em Dia

As derrotas para Athletico-PR e Bahia representaram dois duros golpes para o Galo em sua caminhada no Brasileirão. Após cair do quarto para o sexto lugar e se distanciar dos líderes, o técnico Rodrigo Santana, ainda sonhando com um título que o alvinegro não conquista há quase cinco décadas, deu a ordem: “É preciso reagir fora de casa”. Pela frente, dois duelos seguidos longe dos domínios do Atlético, contra o Corinthians, neste domingo (1), às 19h, em Itaquera, e o Botafogo, no dia 8 de setembro, às 16h, no Engenhão.

Tratam-se de dois jogos-chaves para as pretensões da equipe mineira na competição, restando três rodadas para o fim do primeiro turno. E para se manter no encalço dos líderes seis pontos separam o Galo (27) de Flamengo e Santos (cada um com 33) –, o alvinegro tenta melhorar ainda mais o bom aproveitamento que possui como visitante no torneio.

Forasteiro indigesto

O certo é que o Galo terá que se empenhar nesses dois próximos jogos como se fossem decisões, assim como encarou outros duelos nesta temporada. Recentemente, o alvinegro alcançou resultados expressivos fora do Independência pela Sul-Americana.

Nas oitavas de final, abriu uma boa vantagem ao bater o Botafogo, no Rio, por 1 a 0, no embate de ida, e confirmando a vaga com o triunfo de 2 a 0 no Horto. Nas quartas, superou o La Equidad em Bogotá, por 3 a 1, depois de já ter ganhado também na condição de mandante, por 2 a 1.

E pensar que essa boa campanha começou a partir de um “prêmio de consolação”. Eliminado na fase de grupo da Copa Libertadores, o Atlético só conseguiu o direito de disputar a Sul-Americana ao superar, também fora de casa, o Zamora, por 2 a 1, na última rodada do grupo E.

Postar um comentário

0 Comentários