Paulo Henrique, do Pouso Alegre, ri de memes e nomeia lance do gol no Cruzeiro: “Determinação”

Paulo Henrique comemora com Roldan o gol do Pouso Alegre contra o URT, no Manduzão — Foto: Chiarini Jr./PAFC

Driblou o goleiro, viu o gol livre, machucou e... marcou em um lance, no mínimo, inusitado (veja o lance abaixo). Foi assim com Paulo Henrique, o responsável pela vitória do Pouso Alegre contra o Cruzeiro, por 1 a 0, no domingo (18). No lance da bola na rede, após conseguir superar o goleiro Fábio, o atacante sentiu uma lesão na coxa. Ao invés de desistir, ele saltou com uma perna só e marcou.

- Na hora eu senti que eu tinha machucado, mas a bola parecia estar tão perto e como eu já havia driblado o Fábio, acreditei que mesmo se eu fosse com um pé só, devido à lesão, eu chegaria antes da bola sair, porque ela estava indo sentindo linha de fundo. Na hora a gente nem pensa direito. Eu só pensei em fazer o gol e sabia que estava machucado. Tentei pulando em um pé só. Graças a Deus deu tempo de chegar na bola e fazer o gol – disse ao ge.

A maneira com que ele conseguiu fazer o gol gerou diversas brincadeiras nas redes sociais. Várias delas inventando nomes para a jogada. Paulo Henrique confessa que já riu de todas as invenções, mas faz questão de nomear o gol como “determinação”.

- Vi “gol Saci”, gol “pulando amarelinha”, fazer o “gol com um pé só”. Mas, sendo sincero, acho que é um gol de determinação. Mesmo sabendo que estava machucado, tive a determinação de chegar na bola e fazer o gol para ajudar a equipe. Não ligo nas brincadeiras, porque querendo ou não está rodando em todo lugar. Mas acredito que é um gol de determinação de onde quero chegar. Estou sempre determinado a fazer o gol – falou.

Sabor especial

Aos 27 anos, Paulo Henrique é formado nas categorias de base do Atlético-MG. Para ele, balançar as redes contra o Cruzeiro tem um sabor especial. Não pela rivalidade entre Galo e Raposa, mas sim por ter marcado em Fábio, que para ele é “um dos melhores goleiros do Brasil”.

- Sempre é um sentimento especial de marcar o gol em uma equipe tão grande no cenário nacional e em um goleiro tão expressivo como é o Fábio. Ele já vem há muitos anos sendo um dos melhores goleiros do Brasil e fazer um gol nele deixa a gente muito feliz. Foi um sentimento muito especial de saber que estava fazendo um gol em uma equipe grande e em um goleiro com história – contou.

O gol do atacante deu ao Pouso Alegre a primeira vitória na história contra o Cruzeiro e ainda foi a primeira vez que o Dragão marcou diante da Raposa. O feito faz com que o nome de Paulo Henrique não seja mais esquecido no Pousão, mas ele revelou ao ge que só foi saber disso depois do jogo.

- Não sabia que era a primeira vitória e de que era o primeiro gol do Pouso Alegre contra o Cruzeiro. Fico feliz de ficar marcado na história positivamente. Vim para cá para poder ajudar, poder fazer os gols e colocar o Pouso Alegre na Série D do Brasileiro, que é um objetivo do clube. Com esse gol, pude entrar na história do clube. Estou muito feliz. Feliz em fazer parte do elenco e estar no Pouso Alegre na hora certa e no momento certo.

Ao se lesionar no lance, Paulo Henrique deixou o campo e deu lugar a Johnny, no último minuto do primeiro tempo da partida. O atacante agora é dúvida para a partida que pode dar vaga ao Pouso Alegre contra o Tombense, no domingo (25). Para tentar estar em campo, ele já iniciou tratamento nesta segunda-feira (19).

- Já iniciei meu tratamento para tentar ir ao jogo domingo. Não é uma certeza, vou fazer o maior esforço do mundo para estar em campo. Se eu não estiver, vou torcer para os companheiros fazerem uma grande partida - disse.

A carreira

Após deixar o profissional do Atlético, em meados de 2013, Paulo Henrique passou por Ipatinga, Londrina, Paysandu, Betim e estava no União Luziense no ano passado, na campanha que fez o time de Santa Luzia subir para o Módulo II do Mineiro. No início de Pouso Alegre, o atacante começou no banco, mas depois conquistou a vaga entre os 11 titulares.

- Avalio como uma boa passagem. Estou envolvido diretamente em seis gols do time, marcando três e dando três assistências. Comecei o campeonato entre os reservas e acabei conquistando meu espaço no dia a dia. Estou muito feliz, feliz de estar sendo um jogador importante para o time. A equipe em alguns momentos precisou de mim e pude estar ali para corresponder. Estou feliz, mas ainda não acabou. Temos mais um jogo muito importante e quem sabe possamos fazer uma semifinal contra o Atlético-MG.

Dois pontos atrás do G-4, o Pouso Alegre, de Paulo Henrique, precisa da vitória contra o Tombense para tentar a vaga nas semifinais do Mineiro. Caso conquiste os três pontos, o Dragão passa automaticamente o time de Tombos na tabela e precisa que a URT não vença o América-MG, em Patos de Minas, no domingo.

>> Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.