Seus anúncios aqui

Ipatinga confirma primeiro óbito por Febre Maculosa

Em caso de contato com o carrapato, a orientação é para
que se evite espremê-lo, pois ele reage e libera
bactérias. Deve-se retirá-lo com pinças.
Prefeitura de Ipatinga

Nesta quinta-feira (1), a Prefeitura de Ipatinga, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, confirmou a primeira morte no município causada por Febre Maculosa, em 2019. A vítima é um homem de 20 anos, morador do bairro Caravelas. Após visitar um sítio, o jovem deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no bairro Canaã, com estado clínico grave e sistema nervoso central já comprometido.

Considerada uma doença infecciosa febril aguda, a Febre Maculosa é causada pela bactéria Rickettsia richettsii, transmitida ao homem pela picada de carrapatos, principalmente o ‘estrela’.

Segundo a médica infectologista Carmelinda Lobato, “por estarmos numa região endêmica, a incidência da doença é mais comum em pessoas que vivem ou frequentam áreas rurais infestadas por carrapatos. Além disso, estar em contato com animais como capivaras, cavalos, vacas e cachorros com carrapatos também aumenta o risco de contrair a doença”.

Segundo Carmelinda, 'é fundamental usar roupas de mangas
compridas, repelente, em áreas com mato
e presença de animais'
Sobre as formas de prevenção, a médica esclarece que a doença pode ser fatal se não descoberta e tratada em tempo adequado. “É fundamental usar roupas de mangas compridas, repelente, em áreas com mato e presença de animais. Em caso de contato com carrapato, evitar espremê-lo, pois ele reage e libera bactérias. Por isso, não se deve retirá-lo com as unhas, e sim com pinças”, explica Carmelinda.

Uma capacitação sobre a doença está sendo preparada para médicos e enfermeiros da rede pública de Saúde de Ipatinga no mês de setembro, uma vez que os sintomas da Febre Maculosa podem ser confundidos, na fase inicial, com os de outras doenças.

Os sintomas geralmente apresentados por pacientes que adquiriram a doença são febre, dor no corpo, dor de cabeça, náuseas e vômitos. Numa fase mais avançada, a doença pode evoluir para um quadro de confusão mental e convulsões.

Postar um comentário

0 Comentários