Seus anúncios aqui

Anelka dá nova versão, detalha negociação com o Atlético-MG em 2014 e dispara contra Kalil

Foto: Reproução / Internet 
Ex-atacante chama ex-presidente do Galo de amador, conta que negociação estava 95% certa e garante que queria, sim, jogar no Atlético-MG; Kalil apenas ri e prefere não comentar "bobagens"


No início de abril de 2014, há cinco anos, Alexandre Kalil, então presidente do Atlético-MG, anunciava, através de sua conta oficial no Twitter, a contratação do atacante francês Nicolas Anelka. O jogador, porém, não viajou para Belo Horizonte, não assinou contrato e nunca jogou pelo Galo. A história, claro, rende brincadeiras e piadas até hoje. O atacante - já aposentado - nunca deu sua versão completa da história. Até agora.



O GloboEsporte.com teve acesso exclusivo a um vídeo no qual Nicolas Anelka explica com detalhes o que aconteceu naquela ocasião. Em 2014, o Galo explicou, depois de cancelar o negócio, que estava tudo acertado, mas que Anelka não havia se apresentado no prazo estipulado, o que irritou o clube, que desistiu do negócio. Leia, abaixo, algumas reportagens da época.



A versão do ex-atacante, porém, é muito diferente. Segundo ele, o acordo estava "95%" acertado, mas não foi fechado porque Alexandre Kalil anunciou a contratação antes da hora e também porque o clube enviou apenas uma passagem de avião, quando ele havia pedido duas (uma para ele, outra para o empresário).

Na primeira parte do vídeo, Anelka se apresenta, menciona o respeito que tem pelo Brasil e pelo Galo e revela que até hoje recebe muitas mensagens sobre este assunto.

- Olá a todos. Aqui Nicolas Anelka, especialmente para vocês. Um pequeno vídeo, um vídeo especial para os fãs brasileiros, os fãs do Atlético-MG, especialmente para vocês. Então, vocês foram muitos a me perguntar por que eu não quis assinar com o Atlético-MG. Por que eu não quis ir jogar no Brasil? Por que eu não topei jogar com o Ronaldinho? Hoje, eis aqui a resposta. Eu tenho muito respeito por vocês, eu sei que houve muitos questionamentos, muitas histórias e muitas piadas em relação a essa transferência que não se concretizou. Ainda hoje eu recebo muitas piadas sobre isso no Instagram. Por respeito a todos os torcedores do Atlético-MG eu decidi fazer esse vídeo. Assim, a partir de hoje, eles saberão a verdade sobre essa história. Até já.

Na sequência, o francês volta a falar sobre a admiração que tem pelo futebol brasileiro, cita grandes jogadores do país, revela ser fã de Ronaldo e começa a explicar a negociação frustrada, já atacando Alexandre Kalil, quem ele chama de "amador".

- Bom, a história é bem simples e bem rápida. Antes de tudo, quero ressaltar que eu respeito muito o futebol brasileiro e todos os jogadores extraordinários que vocês tiveram e que passaram pela Seleção e pelos clubes europeus, como Zico, Pelé, Bebeto, Romário, Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho e, hoje, Neymar. Sem contar que o jogador que eu mais gosto, o jogador número 1 é Ronaldo Fenômeno, é meu ídolo, meu jogador favorito. Bom, (isso é um) pequeno parêntese. Voltando à história da transferência, na verdade é muito simples. A transferência deu errado simplesmente porque o presidente do clube (Alexandre Kalil, ex-presidente) é um amador. Ele cometeu uma quantidade de erros que, normalmente, quando se é profissional e se é um grande presidente, são erros que não se comete.

Quais erros? Ele explica.

- Primeiramente, nunca se anuncia a chegada de um jogador que ainda não assinou o contrato, um jogador que ainda não chegou a um acordo com o clube sobre as condições do contrato. O contrato estava praticamente feito, estava 95% certo. Meu irmão que mora em Miami tinha viajado ao Brasil, tinha começado uma negociação e só faltava 5%. Tudo estava feito, só faltava 5% e aceitar as minhas condições pra que eu fosse e assinasse com o clube.

- Quais eram as condições: que eu fosse ao Brasil com meu agente, que trabalhava em parceria com meu irmão que estava no Brasil, que emitissem duas passagens para que eu fosse ao Brasil, que eu conhecesse a infraestrutura do clube, que eu conhecesse a cidade, pois eu me mudaria com a minha família e eu achava isso muito importante. Então, foi um enorme erro do seu presidente, pois ele convocou a imprensa, ele fez uma coletiva de imprensa e disse a todos que eu estava de acordo com as condições, que eu estava chegando e que eu estava no avião. Supresa!

- Foi um erro enorme, um erro de amador. Mas, tudo bem, tranquilo. Eu disse que eu queria vir, que eu queria muito vir jogar no Atlético-MG. Então, apesar do erro do seu presidente, eu continuei. Que ele me mande então duas passagens de avião, pra mim e para meu agente. Meu agente que vai se encarregar de ler e verificar linha por linha do contrato proposto pelo Atlético-MG. E que ele mande uma passagem pra mim também, pra eu conhecer a infraestrutura do clube e conhecer a cidade pra levar minha família. Em seguida eu faria os exames médicos. Se tudo desse certo, depois dos exames eu assinaria o contrato.

- É assim que se faz quando se é um grande clube, um clube profissional. Eu esperei algumas horas. E depois de cerca de 10, 15 horas eu recebi uma única passagem de avião. Só uma, no meu nome. Foi uma enorme falta de respeito. Depois de um primeiro episódio, em que ele convoca uma coletiva de imprensa, um segundo, no qual ele me envia uma única passagem de avião, só para mim. Para mim foi uma enorme falta de respeito o fato de ele não querer que meu agente viaje para verificar tudo o que estava no contrato.

Por fim, Anelka conclui a explicação, garante que sua versão é a verdadeira e volta a ressaltar o respeito que tem pelo futebol brasileiro. Ele também explica por que não havia falado sobre o assunto até hoje.

- Por isso eu preferi não assinar o contrato com o Atlético-MG, já que a situação já estava mal. Eu fiquei na minha casa, em Londres, e deixei as histórias, essa transferência, tudo dar errado, só isso. Depois eu soube que o presidente deu sua versão, que ele disse várias coisas negativas sobre mim. Na época eu não quis responder, não era importante. Mas quis responder hoje porque eu recebi muitas, muitas mensagens de torcedores do Atlético-MG que me perguntavam por que eu não assinei com o time, por que eu não quis jogar no Brasil, no Clube Atlético Mineiro. Então é isso.

- Como eu disse, o presidente do time deu sua versão, aqui está a minha versão. Eu sei que a minha versão é a verdade. Ela é muito clara, muito simples. É triste, é idiota, mas é apenas a verdade. Todo o meu respeito pelos torcedores do Atlético-MG, eu realmente sinto muito. Desejo boa sorte a vocês. Eu sei que o Atlético-MG é um grande time, que grandes jogadores já passaram por aí, que muitos outros grandes jogadores vão continuar a fazer parte do elenco e que o clube sempre será grande. Muito respeito por vocês, brasileiros. Pelo Brasil, pela Seleção, por todos. Até mais! Tchau.

O que diz Alexandre Kalil?

Procurado pela reportagem, Alexandre Kalil preferiu não rebater Nicolas Anelka. O atual prefeito de Belo Horizonte apenas riu e disse que não gosta nem de lembrar os grandes feitos, quanto mais aquilo que ele classifica como "bobagem" e algo "irrelevante".

(Guilherme Frossard - Globo Esporte - Belo Horizonte)

Postar um comentário

0 Comentários