As últimas do esporte na região, no Brasil e no mundo. Saiba de tudo aqui no FUTBLOG DO SORRISO. Visite nossa página no Facebook (Futblog do Sorriso) e siga-nos ainda no Twitter (@futblogsorriso), no Instagram (Futblog do Sorriso) e no YouTube (Futblog do Sorriso). Informação com dinamismo!

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

"Preparem os remédios para o coração", avisa Levir, que chega nesta 5ª feira ao Atlético-MG

Crédito: Flirck/Atlético-MG
"Preparem os remédios para o coração. Vai ter emoção".


Recado do técnico Levir Culpi, que ele mesmo postou em uma rede social na manhã desta quinta-feira, dia seguinte ao anúncio do clube que ele será o substituto de Thiago Larghi, demitido na tarde de quarta. Levir será (re)apresentado na tarde desta quinta-feira, na Cidade do Galo - ele vai comandar o Atlético-MG pela quinta vez.

O contrato do novo treinador - que treinou o time em 1994, 2001, 2006 e 2014 vai até dezembro do ano que vem.

As conversas com Levir haviam começado antes mesmo da demissão de Larghi. O presidente Sérgio Sette Camara e o vice, Lásaro Cândido, foram até Curitiba ter uma primeira conversa com o técnico. A confirmação de Culpi aconteceu logo após o Atlético confirmar em sua conta oficial do twitter o desligamento de Thiago do comando do time.




Depois que deixou o Atlético, no final de 2015, Levir passou por Fluminense, Santos e Gamba Osaka, do Japão. No clube asiático, foram sete meses, com quatro vitórias, três empates e dez derrotas, em 17 partidas, somando 29% de aproveitamento.

Levir volta ao Galo três anos após a última passagem, que durou entre os anos de 2014 e 2015. O treinador, de 65 anos, tem seis títulos no clube, entre eles a Copa do Brasil de 2014, conquistada em final contra o Cruzeiro.

A primeira oportunidade de Levir Culpi como treinador do Galo foi em 1994. Após sair em 1995, voltou em 2001 e ficou até 2002. Retornou ao Atlético-MG em 2006, quando comandou o time na conquista da Série B, ficando até 2007. A última passagem começou em 2014, após a demissão de Paulo Autuori, e durou até 2015, quando foi vice-campeão brasileiro e se emocionou na despedida.

Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.